A medula espinal, espinal medula ou medula espinhal é o nome dado à principal via de comunicação entre o cérebro e o resto do organismo, responsável por conduzir impulsos sensitivos da periferia do corpo ao encéfalo, e dar respostas do encéfalo à periferia do corpo.

Trata-se de um órgão exterior à caixa craniana, está protegida pelas vértebras, pelo fluido cerebrospinal e pelas meninges, e pode medir entre 42 e 46 cm de comprimento e 1,8 centímetros de espessura.

 

Para que serve a medula espinal?

É o maior centro reflexo, ou seja, os reflexos espinais são mediados pela sua ação, o que significa que uma das suas funções é o controlo motor do corpo através do estímulo dos meios interno e externo. Assim sendo, podemos aferir que a medula espinal é muito importante para os reflexos involuntários, uma vez que faz parte do sistema nervoso central responsável por esta função do nosso organismo.

 

Outras curiosidades sobre o corpo humano:

- Como é que as feridas cicatrizam?
- Conheça 8 mitos sobre o corpo humano
- Conheça 9 mitos sobre a sexualidade e gravidez

 

Em torno da medula espinal há um líquido, denominado por cefaloraquideano, com uma consistência semelhante à água, que pode ser utilizado para o diagnóstico de patologias ou para a introdução de antibióticos através de uma punção na região lombar, na zona cervical alta, situada entre a base do crânio e a primeira vértebra cervical, na moleirinha aberta em crianças ou excecionalmente nos ventrículos cerebrais através de neurocirurgia.

Através do líquido cefaloraquideano podem ser feitos vários tipos de exames para diagnosticar as seguintes doenças:

  • Meningites de origem viral, bacteriana, fúngica, por tuberculose ou parasitária;
  • Sífilis;
  • SIDA;
  • Hemorragia do sistema nervoso central;
  • Doenças degenerativas, nomeadamente a esclerose múltipla;
  • Alguns tumores;
medula-espinal-espinhal

  

Como é constituída a medula espinal?

A medula espinal é constituída por matéria cinzenta e branca. A substância cinzenta localiza-se dentro da substância branca e apresenta a forma de um “H”, sendo este conhecido como o “H medular”.

As células de matéria cinzenta não se regeneram, por isso as pessoas que sofrem lesões nesta área já não recuperam. Pelo contrário temos as células de matéria branca que se regeneram e são responsáveis por transportar impulsos eletroquímicos até ao cérebro. Por exemplo, se se entalar sentirá dor e o cérebro vai informá-lo dessa sensação e fará com que leve a sua mão até à zona afetada.

 

O que causam as lesões na espinal medula?

As lesões da medula espinal variam em dimensão e consequências, e podem resultar de acidentes com veículos a motores, por quedas, lesões desportivas (as mais frequentes são os mergulhos em águas com pouca profundidade), acidentes industriais, agressões físicas, entre outras.

Uma pequena lesão na medula espinhal pode ser provocada por enfraquecimento da coluna, consequência do envelhecimento. Doenças como a artrite reumatóide ou osteoporose são as mais comuns neste tipo de lesões.

 

mergulhos-rocha-perigos-paralisia-actividades-radicais

 

As lesões mais graves acontecem em jovens adultos, entre 15 e 35 anos, e são causadas, muitas das vezes, pela participação em atividades físicas perigosas ou pela falta de equipamentos de proteção durante o trabalho ou em atividades lúdicas.

Nestes casos, estamos perante um elevado índice de morte ou de paralisia de diversos músculos, ou seja, caso a zona afetada seja a medula espinal cervical alta, estamos perante uma paralisia dos membros, dos músculos respiratórios e do diafragma. Já a lesão medular peri-cervical baixa provoca paralisia dos quatro membros (tetraplegia); as lesões medulares torácicas ou lombares levam à paralisia dos membros inferiores (paraplegia crural).